Situada no Planalto das Mesas, a cerca de 2,5 km da margem direita do Rio Côa e a 7 km da fronteira com Espanha, a vila de Almeida faz parte do Programa de Recuperação das Aldeias Históricas e é sede de concelho de 29 freguesias. Estamos na Raia Seca, zona em que a fronteira entre Portugal e Espanha não é feita por um curso de água. A presença humana na povoação remonta a tempos bem recuados, anteriores à época do domínio romano. Recebeu foral de D. Dinis em 1296, tendo sido, desde essa altura, e devido à sua posição estratégica, um importante centro de actividades militares e palco de diversas batalhas. Em 1663, é aí travada a batalha decisiva que veio a conduzir à guerra da Restauração. Dessa época, mantêm-se ainda as construções em granito, as muralhas (entretanto recuperadas), o Quartel das Esquadras, a porta de São Francisco, o Palácio da Vedoaria, a Igreja Matriz e a Capela da Misericórdia, de estilo maneirista e uma das mais antigas do país, que permitem reviver e viver outros tempos e a história. O concelho, todo ele atravessado pelo Rio Côa é eminentemente agrícola.

publicado por damasceno às 23:39