Informação Eleitoral

21.09.09

 

Fonte. www.cm-almeida.pt

publicado por damasceno às 13:18

Pela Freineda

20.09.09

Visite http://pelafreineda.blogspot.com/ e conheça as ideias e propostas da lista do PSD à Assembleia de Freguesia de Freineda para o quadriénio 2009 - 2013.

publicado por damasceno às 20:53

Jamais ou "Jamé" nos esqueceremos sr. engenheiro...

17.09.09

Caro leitor, recordo-lhe que nos ultimos 4 anos e meio de actividade Socialista, Socrates e o seu (des)governo produziu diplomas que envergonham aquisições mínimas do nosso sistema de ensino. O estatuto da carreira docente, a avaliação do desempenho dos professores, a gestão das escolas e o estatuto do aluno são apenas as pérolas. Mas a lista alonga.
Recordo-lhe que a coberto de uma rede propagandística que tornaria Goeebels num aprendiz, cortou, vergou, denegriu e fechou como um obcecado pelo extermínio.
Recordo-lhe que desertificou meticulosamente o nosso querido interior.
Recordo-lhe que congelou salários, burocratizou até ao insuportável e escravizou com trabalho inútil.
Recordo-lhe que manipulou estatísticas, mentiu e abandalhou o ensino, na ânsia de diminuir o insucesso a qualquer preço.
Recordo-lhe que chamou profissional a uma espécie de ensino cuja missão era reter na escola, de qualquer jeito, os jovens que a abandonavam precocemente.
Recordo-lhe que abandonou centenas de alunos com necessidades educativas especiais.
Recordo-lhe que contratou crianças para promover produtos inúteis e aliciou pais com a mistificação da escola a tempo inteiro.
Recordo-lhe que foi desumano com professores nas vascas da morte e usou e deitou fora milhares doutros, doentes, depois de garantir que não o faria.


Recordo-lhe que, com o concurso de titulares, promoveu a maior iniquidade de que guardo memória.
Recordo-lhe que enganou miseravelmente os jovens candidatos a professores e humilhou as instituições de ensino superior com a prova de acesso à profissão.
Recordo-lhe que desrespeitou leis fundamentais do paí­s e, com grande despudor polí­tico, passou sem mossa por sucessivas condenações em tribunais.
Recordo-lhe que desrespeitou continuadamente a negociação sindical e fez da imposição norma.
Recordo-lhe que reduziu a metade os gastos com a Educação e aumentou para o dobro a distância que nos separava da Europa.
Recordo-lhe que perseguiu, chamou a polí­cia e incitou e premiou a bufaria.
Recordo-lhe que os professores portugueses não o vão esquecer ...

PELA NOSSA TERRA MANTER O RUMO AGIR COM VERDADE

17.09.09

Informação retirada do espaço virtual da Comissão Política de Secção de Almeida do Partido Social Democrata in http://psdalmeida.webnode.com/

 

                   DSC01290

 

Apresentávamo-nos há quatro anos (2005) ao eleitorado com um programa sem dúvida arrojado, classificado por alguns como demagógico, a que demos corpo com uma realização efectiva de 90% do então proposto.

É sabido que o Município de Almeida, como todos os do Interior do país, dependem financeiramente das transferências do orçamento do Estado, apenas 17% constituem receitas do Município. Aplicámos e realizámos nestes quatro anos um investimento de 40 milhões de euros com uma média anual de 10 milhões de euros.

Isto só foi possível porque conseguimos ajudas e apoios dos fundos comunitários, porque herdámos uma Câmara com as finanças equilibradas e porque soubemos aplicar as transferências de uma forma eficaz, tendo sempre presente uma gestão equilibrada.

Segundo documentos da DGAL, de Agosto de 2009, o Município de Almeida dispõe de uma capacidade de endividamento de cerca de 10 milhões de euros. Isto significa por outras palavras que com as transferências do Orçamento Geral do Estado de quatro anos, com o recurso a apoios de fundos comunitários e com recursos próprios do Município temos capacidade de investimento superior a 60 milhões de euros.

Hoje o nosso Concelho, segundo um estudo da Universidade da Beira Interior intitulado “Observatório para o desenvolvimento económico e social” tem um índice de desenvolvimento que ocupa um honroso terceiro lugar no Distrito da Guarda, tendo inclusive subido 64 posições no ranking entre 2007 e 2009.

Ocupa essa posição porque investimos fortemente na saúde, na educação, na área social, no turismo e património e dotámos o Concelho com um conjunto de equipamentos de grande qualidade que nos honram e enobrecem.

Apresentamo-nos agora ao eleitorado com um programa que vai dar continuidade ao muito que foi feito. Por isso queremos manter o rumo. Queremos rentabilizar os equipamentos, dotar o Concelho com infra-estruturas para que, pese embora longe dos índices de desenvolvimento do litoral, possamos aproximar-nos desses valores.

Para tanto será necessário que o país seja repensado e olhado de outra forma. Tem que haver políticas de discriminação positiva para o Interior do país, incentivos às empresas, à criação de postos de trabalho e fixação da população.

Vivemos num Concelho despovoado com uma população envelhecida e jovens com poucas oportunidades de trabalho. Continuaremos a lutar contra o esvaziamento de serviços e apresentamos um programa direccionado para as classes mais vulneráveis e desfavorecidas – os idosos e os jovens.

O nosso programa está direccionado para as pessoas. Por isso, na continuação do trabalho desenvolvido, apresentamo-nos com a firme vontade de implementar a Carta Social, com fortes apoios às IPSS que não têm sido favorecidas com transferências do Governo central.

A nossa linha orientadora está direccionada para um forte apoio aos Lares e Centros de Dia, ajudando a criar com as instituições disponíveis uma rede de serviços eficaz que dê resposta às muitas necessidades com que nos deparamos.

Temos que passar por cima da frieza das estatísticas que negam ao Concelho de Almeida mais apoios a Centros de Dia e Lares só porque estamos acima da média nacional na pontuação destes serviços.

Temos que continuar com estes argumentos, o nosso programa e a Carta Social espelham claramente a nossa firme vontade de dar resposta às pretensões daqueles que lhe são sucessivamente negadas.

O programa que apresentamos espelha de uma forma muito clara aquilo a que nos propomos para os próximos quatro anos de mandato autárquico:

ACÇÃO SOCIAL

. A política social do município tem por referencia as necessidades locais diagnosticadas, procurando agilizar respostas de protecção e de desenvolvimento pessoal e social., dirigidas a pessoas e grupos e vulneráveis, através de estratégias facilitadoras de uma melhor integração social. Nesta linha a actuação da Autarquia incidirá prioritariamente em intervenções dirigidas a idosos, crianças, jovens e pessoas em situação de precariedade económica, social e cultural.

 E porque a coesão social é um imperativo que a todos diz respeito continuaremos também a trabalhar na linha da complementaridade e da concertação de esforços com as associações, instituições e demais agentes representados no Conselho Local de Acção Social, apoiando as suas iniciativas e consolidando cada vez mais e melhores resultados para todos. Sintetizamos a actuação a que nos propomos nas seguintes intervenções: 

 

1- Melhorar as condições de vida dos idosos e a sua integração na comunidade

 Aos idosos em geral é disponibilizado gratuitamente o Cartão Social Municipal, mediante requisitos constantes no respectivo Regulamento, documento que permite aceder a um conjunto de benefícios/descontos associados à utilização dos serviços municipais (taxas) e dos equipamentos sociais (piscinas, termas da Fonte Santa, Picadeiro, pavilhões gimnodesportivos, espaços culturais…). Neste leque de benefícios salientam-se também pela sua especificidade os Serviços de Reparação Doméstica, o Serviço de Teleassistência Domiciliária e a Comparticipação na Despesas com Medicamentos.

 A nível institucional, através da cooperação com as IPSS, são facultados aos utentes de Lares e Centros de Dia os seguintes apoios:

. Actividades estimuladoras da motricidade do idoso – Ginástica Geriátrica

. Actividades sócio-culturais (Música, leitura, poesia, teatro e pintura)

. Apoios psicossociais

. Melhoria das condições básicas de habitabilidade de utentes de Centros de Dia

. Apoios específicos aos Centros de Dia com dificuldades de auto sustentação

. Facilitar o acesso aos tratamentos nas Termas da Fonte Santa, criando circuitos de transporte específicos

        2 – Promover o desenvolvimento pessoal e educativo das crianças e jovens e a sua integração na comunidade

. Aos jovens, com idades compreendidas entre os 12 e os 30 anos é concedido gratuitamente o Cartão-Jovem Municipal, mediante requisitos constantes do respectivo regulamento, o qual lhes permite usufruir de um conjunto de benefícios/ descontos associados à utilização dos serviços municipais (taxas) e dos equipamentos sociais (piscinas, termas da Fonte Santa, Picadeiro, pavilhões gimnodesportivos, espaços culturais…)

            . Para os jovens com idades compreendidas entre os 6 e os 16 anos de idade a Câmara Municipal promove anualmente o Programa de Férias Municipal, o qual abrange duas semanas no período da Páscoa e três semanas no período de Verão.

            As problemáticas da infância e juventude são objecto de análise e de intervenção no âmbito da cooperação com a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens em Perigo, sedeada na Câmara Municipal.

. Para os jovens que ingressem no ensino superior serão criadas bolsas de estudo mediante regulamento a definir já em 2010.

            . Elaborar candidatura ao QREN para aplicação de quadros interactivos em todas as salas do 1º. Ciclo.

. Apoiar a criação de ATL´s.

. Estamos disponíveis para aceitar delegação de competências na área da educação, caso sejam devidamente acompanhadas pela respectiva comparticipação financeira da DREC.

. Ao nível das atribuições em matéria de educação /acção social escolar, procuramos contribuir para o sucesso escolar das crianças e jovens, por via da cooperação com os Agrupamentos de Escolas de Almeida e de Vilar Formoso promovendo os seguintes auxílios:

. Apoio financeiro para aquisição de livros e material escolar (alunos do 1º CEB)

. Pagamento de refeições diárias a alunos carenciados

. Comparticipação generalizada de refeições a todos os alunos, nos termos do Programa/disposições legais em vigor

. Serviço de Apoio à Família nos Jardins Infância (prolongamentos de Horário e refeições), implementado no âmbito do Programa de Expansão e Desenvolvimento da Educação Pré-escolar

Nota: O apoio concedido pelo Município de Almeida ronda os 100,00 euros por aluno. A média nacional proposta pelo Ministério da Educação é de 35,00 euros.

. Actividades de Enriquecimento Curricular nas escolas do 1º ciclo do ensino básico (inglês, música, educação física, expressões, tic), dinamizadas nos termos das disposições consignadas no Programa das Actividades de Enriquecimento Curricular no 1º CEB.

. Transportes gratuitos para todos os alunos dos 1º, 2º, 3º ciclos e secundário

. Apoio financeiro para visitas de estudo e/ou disponibilização de transporte

. Apoio ao Desporto escolar

3- Promover o desenvolvimento social e o combate à exclusão

. Promover a Formação escolar e profissional em áreas de interesse social e económico.  . Construir o Bairro Social, em Almeida, de forma a realojar os actuais moradores do Bairro pré-fabricado, (protocolo já assinado no âmbito do PROHABITA)

. Melhorar a oferta do mercado habitacional, promovendo a construção a custos controlados (CDH) – Loteamento aprovado para a construção de T1; T2; T3 e T4.

. Facilitar o acesso da população aos serviços públicos, através da utilização dos circuitos de transporte escolar

. Criar a Loja Social do Município

. Promover a integração social de pessoas/grupos em situação de exclusão, no âmbito da cooperação com a parceria do Rendimento Social de Inserção

. Realização de feiras sociais

. Atendimento/aconselhamento a Emigrantes, no âmbito do protocolo estabelecido entre a Câmara e a Direcção Geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas (com a colaboração do CAIS). A população das freguesias da parte oeste do Concelho continua a solicitar os serviços do CAIS pelo que será estabelecida parceria em vários domínios da Acção Social.

. Apoio a Lares e Centros de Dia com dificuldades de auto sustentação.

. Criação, em colaboração com as IPSS, de uma rede eficaz operacionalizando actos de gestão participada.

TURISMO, PATRIMÓNIO E REGENERAÇÃO URBANA

 

TURISMO

 

O turismo é um importante instrumento de desenvolvimento e assume-se como uma oportunidade para o desenvolvimento económico e social dos territórios.

 

Hoje o turismo é mais exigente e por isso é necessário acompanhar as tendências do mercado. O comportamento do turista tem vindo a alterar-se levando ao desenvolvimento de um mercado mais especializado centrado em actividades diversificadas que podem ser desenvolvidas a nível local.

 

Estratégias a implementar:

 

Criar Rota dos Núcleos Museológicos do Concelho

. Implementar o Núcleo Museológico Etnográfico do concelho de Almeida com representação das actividades típicas e produtos da região e elementos da história;

. Dinamização dos Núcleos Museológicos existentes no concelho.

 

Implementar Plano de Sinalização Turística direccionada para:

. Legibilidade da oferta dos produtos turísticos do concelho;

. Qualificação global da oferta turística do concelho.

 

Combate à Sazonalidade Turística

. Criar um espaço para o caravanismo;

. Construção de parcerias com os agentes locais;

. Desenvolvimento do Turismo Desportivo sustentado pela qualidade e participação com parcerias com concelhos vizinhos e outras regiões;

. Organização / Realização de eventos desportivos nacionais e internacionais competitivos e recreativos;

 

Definir e desenvolver um Plano de Comunicação Turística

. Criar um catálogo de oferta turística do concelho;

 

. Outdoors, em locais de referência, de modo a transmitir a identidade turística do concelho.

 

Criar Pacotes Turísticos

. Organização de visitas guiadas com três rotas diferentes: Centro Histórico de Almeida, Centro Histórico de Castelo Mendo e Concelho;

. Dinamização dos equipamentos desportivos: piscinas municipais, gimnodesportivos, court ténis e Picadeiro D´El Rey;

. Dinamização da Área Multiusos de Vilar Formoso.

. Dinamização dos equipamentos culturais: Museu Histórico-Militar; CEAMA; Núcleo Museológico Roda dos Expostos; Núcleo Museológico Etnográfico do Concelho de Almeida; Núcleos Etnográficos do Concelho;

. Dinamização das Termas de Almeida – Fonte Santa.

 

Dinamizar o Turismo Gastronómico

. Parcerias com os agentes locais da área da restauração;

. Dinamização da restauração do Concelho.

 

Valorização das Festividades realizadas em todas as freguesias do Concelho

. Criar um serviço de turismo com a valência de promover as festividades junto dos turistas que procuram o Concelho como destino turístico.

 

PATRIMÓNIO E REABILITAÇÃO URBANA

 

O Concelho de Almeida possui um valiosíssimo património que deve ser considerado como o principal pólo de desenvolvimento económico, social e cultural das suas gentes.

A Candidatura de Almeida a Património da Humanidade fará com que Almeida apareça no mapa do Mundo e no mapa das grandes Estrelas, potenciando o desenvolvimento do Concelho.

Assim, propomo-nos implementar as seguintes medidas:

 

-Isenção de taxas para a recuperação de imóveis localizados nos Centros Históricos do Concelho (Almeida, Núcleo antigo de Vilar Formoso, Castelo Mendo e Castelo Bom).

 

-Isenção do Imposto Municipal de Transacções (IMT) para edifícios destinados a 1ª. Habitação localizados nos Centros Históricos do Concelho.

 

-Celebrar protocolo com o IRHU no âmbito do programa SOLARH, para financiamento de obras de conservação ordinária ou extraordinária e de beneficiação de habitação própria permanente, para famílias que preencham um conjunto de requisitos, ou em habitações devolutas.

 

-Celebrar protocolo com o IRHU no âmbito do programa REHABITA: Regime de Apoio à Recuperação Habitacional em Áreas Urbanas Antigas (Financiamento às Câmaras Municipais na recuperação de zonas Urbanas Antigas).

 

-Celebrar protocolo com a Direcção Geral do Património para a utilização, reparação e valorização do Bairro das Esquadras em Almeida.

 

-Concretizar a “ciclo via” no exterior do Centro Histórico de Almeida.

 

-Requalificar a praça Dr. José Casimiro Matias, bem como a rua da Muralha em Almeida.

 

-Elaboração de uma brochura sucinta, ilustrada e de fácil assimilação, apresentando o PLANO DE GESTÃO da fortaleza e valores a mobilizar.

 

-Criar o “Centro de Negócios com Multiusos” no Interior do Centro Histórico de Almeida.

 

-Construir o Hotel Termal da Fonte Santa.

 

-Requalificar as margens da Ribeira de Toirões na zona do Núcleo Antigo de Vilar Formoso.

 

- Criação de um Agrupamento Europeu de Cooperação Transfronteiriça (AECT) na Fronteira de Vilar Formoso, para promoção dos Produtos Endógenos, do Território, do Comércio e Indústria etc.

 

-Criar uma Área de Serviços na ligação da A25/A62 a Vilar Formoso.

 

Apenas focamos as nossas propostas no domínio da Acção Social, Educação, Turismo e Património. Dentro em breve faremos circular um documento onde colocaremos todas as nossas propostas nas diversas áreas, incluindo os planos estratégicos de desenvolvimento para Almeida e Vilar Formoso, que constituirão o nosso programa eleitoral.

 

PSD Visite http://psdalmeida.webnode.com/

publicado por damasceno às 19:00

Mensagem de Manuela Ferreira Leite

17.09.09

PSD                                                                 Download  do programa (PDF) 

Download  Folheto de campanha (PDF) 

 

Visite. http://www.politicadeverdade.com/ 

 

Este é o Programa Eleitoral do PSD para as próximas eleições legislativas. Agradeço-lhe o interesse que dedica à sua leitura.

Em contraste com a prática política seguida pelos actuais governantes socialistas, tenho procurado sempre – e em particular desde que assumi a presidência do PSD – orientar-me por valores que considero fundamentais na vida e na acção política.

Com efeito, a política só tem sentido com valores. E hoje a reafirmação de alguns destes valores é indispensável no nosso País – valores como a Verdade quando se fala aos Portugueses, a Seriedade do discurso e dos argumentos políticos, o Realismo das propostas, a Responsabilidade na actuação e nos caminhos assumidos e o sentido de Compromisso com o Futuro, com as gerações de Portugueses que nos virão a suceder.

Durante meses, ouvimos os Portugueses, analisámos os problemas, fizemos propostas.

Apresento-vos agora este Programa Eleitoral correspondendo aos valores referidos, num verdadeiro Compromisso de Verdade com os Portugueses.

Este documento tem como objectivo a apresentação das orientações políticas que, merecendo a confiança dos Portugueses, seguiremos quando formos chamados a formar Governo.

No Programa Eleitoral do PSD fazem-se escolhas para transformar Portugal. Mais do que ganhar eleições temos que ganhar o País. Daí que as nossas escolhas incidam sobre o que entendemos indispensável e urgente, desde logo, para travar a trajectória de declínio acelerado em que o governo socialista colocou o País.

As nossas propostas políticas são ambiciosas, mas realistas. Não são promessas eleitorais feitas para iludir e ganhar votos com essa ilusão. São sérias e são para cumprir. Ambiciosas porque queremos de novo dar esperança aos Portugueses e porque sabemos que para essa renovação da esperança é preciso recuperar a confiança na política. Para isso é preciso cumprir todas e cada uma das propostas que apresentamos.

Não podemos continuar a hipotecar o futuro dos Portugueses, sobretudo das novas gerações. Recusamos, por isso, o facilitismo dos programas que não são mais do que catálogos de promessas, algumas mais uma vez repetidas, mas nunca cumpridas.

Rejeitamos, também, a opção por um Programa irrealista sobre tudo o que gostaríamos de ter, gerador de ilusões e que se esfuma perante o primeiro embate com a realidade. E queremos um Programa Eleitoral para ser lido, e, portanto, breve.

Defendemos uma Política de Verdade, e estamos convictos de que só assim combateremos eficazmente a crise e transformaremos Portugal.

É com esse objectivo que apresentamos as nossas prioridades políticas, permitindo aos Portugueses uma escolha livre e esclarecida, neste momento importante da nossa vida colectiva.

Temos de ser honestos e realistas: as dificuldades são muitas, o caminho da recuperação não é fácil.

Mas a nossa esperança na capacidade dos Portugueses é maior do que qualquer dificuldade!

Com a vossa confiança, somos capazes!

Assinado:Manuela Ferreira Leite

Fonte. http://www.politicadeverdade.com/

publicado por damasceno às 18:30

PORQUE VOTAR NO PSD

17.09.09

Porque nos últimos 14 anos, o PS foi Governo durante 11,5 anos, designadamente nos últimos 4.

Porque hoje os Portugueses vivem pior que há 4 anos.
Porque o desemprego aumentou.
Porque os impostos subiram.
Porque as familias e as empresas se endividaram.
Porque o defice externo e a divida publica cresceu.
Porque divergimos cada vez mais da média da União Europeia.
Porque o fosso entre o interior do País e o litoral ou os grandes centros é cada vez mais acentuado.
Porque na Educação os maus alunos são premiados e os bons professores maltratados.
Porque, ironicamente, as desigualdades sociais se agudizaram com Governo socialista.
Porque na Saude, o interior do País é tratado com o desdém do encerramento de Serviços.
Porque deixou a Justiça num estado calamitoso, onde quase nenhum credor consegue cobrar o seu crédito.
Porque os apois financeiros às pequenas e médias empresas são consumidos por obras megalómanas como o TGV, o novo Aeroporto de Lisboa e mais uma travessia da Ponte sobre o Tejo.
Porque o País e os portugueses estão cansados de propaganda e de quem tudo cumpre porque não sabe o que vai fazer.
Porque o País e os Portugueses estão fartos do estilo arrogante e prepotente de quem nos governa.
Porque o PSD e a Dra Manuela Ferreira Leite apresentam aos portugueses ideias e propostas realistas e verdadeiras.
Porque o PSD aposta no reforço do emprego com incentivos fortes ao empreendedorimo e ás empresas.
Porque o PSD vai poupar nas obras que o Pais não suporta economicamente e vai apoiar os investimentos publicos de proximidade, que beneficiarão o interior de Portugal e procurarão repõr a coesão territorial que o PS destruiu.
Porque o PSD vai descer a taxa social única em 2% e eliminar o pagamento especial por conta, tornando as nossas empresas e a nossa economia mais competitiva.
Porque entre a verdade e o engôdo, os Portugueses preferem a verdade.

 

Fonte. http://gentedecapsd.blogspot.com/

publicado por damasceno às 18:20

Equipa de Candidatos à Assembleia da República

17.09.09

13.9.09 (5) (2)

 

13.9.09 (5) (3)

publicado por damasceno às 18:15

POR TERRAS FRONTEIRIÇAS...

17.09.09

    

 

   

 

   

 

De cima para baixo e da esquerda para a direita: na Feira da Freineda em diálogo com candidato (PS) à Câm. de Almeida; J. PRATA com candidato PSD à Câm. de Almeida; pausa para o almoço; "JSD" e "TSD" em pose para recordar; em contacto com a população em V. Formoso, com a imprensa "por perto"; que estaríam eles a dizer?!; vista parcial da fábrica TERMOLAN em V. Formoso; ouvindo as explicações do responsável da fábrica; o candidato, numa casa típica em Almeida, servindo "ginginha" ao "pessoal".

Fonte. http://www.gentedecapsd.blogspot.com/

 

publicado por damasceno às 13:51

O QUE DIZ O 'DN' SOBRE CARLOS PEIXOTO

17.09.09

Delfim do presidente da distrital numa decisão "histórica"

 

Quando soube que encabeçava a lista saiu a terreiro para se mostrar "honrado". A decisão classificou-a como "histórica" e "inesquecível".
 

 
"Serei na história da política o primeiro candidato que, não sendo figura de projecção nacional, não sou oriundo também da cidade capital de distrito", afirmou então. Mas garantiu não sentir "nenhum estigma" com a situação.
 
Carlos Peixoto nasceu em Gouveia e cedo rumou a Coimbra, para seguir as pisadas paternas, onde se licenciou em Direito. Despontou para a política pela mão de Álvaro Amaro que fez dele cabeça de lista à assembleia municipal em 2001. Foi também nesse ano que provou o sabor da derrota. Foi o mais votado, mas, na hora da escolha, os presidentes de junta, maioritariamente socialistas, acabaram por eleger um socialista para presidente. Antes já tinha sido presidente da concelhia de Gouveia. Actualmente é vereador, situação que acumula com a presidência de uma empresa municipal onde tem garantido uma permanente aposta nos desportos de aventura e a projecção da serra da Estrela. Desde que foi anunciado candidato não perde uma oportunidade de criticar o Governo. No episódio das camas retiradas do hospital de Seia, onde tem escritório; lembrou à ministra da Saúde, que disse estar habituada, "aquilo que se diz na Guarda não ser verdade"; que "os guardenses não são mentirosos". Nos bastidores do PSD há quem veja a subida a deputado como um pré-posicionamento para substituir Amaro, que apenas pode fazer mais um mandato na Câmara de Gouveia. Promete não ser um yes man do partido e defender os interesses do distrito "em primeiro lugar" porque "a voz nunca se cala". Mantém que "entre o sonho e a ambição de sermos grandes e de nos destacarmos por projectos verdadeiramente estruturantes e entre sermos muito realistas e agir como um pequeno merceeiro" prefere pensar "com ambição". Para isso apresenta a criação de um "enorme parque temático" e garante "combater as ideias negativas" da interioridade.

Os fundos comunitários destinados ao TGV “são negociáveis”

15.09.09

Manuela Ferreira Leite assegura que, caso Portugal abra mão do projecto do TGV, não se arrisca a perder os fundos comunitários destinados ao projecto. A líder do PSD garante que são “negociáveis” e acusa o Governo de perder fundos destinados a outros sectores, como a agricultura.

 

Ao terceiro dia de campanha eleitoral, a líder social-democrata passou por Santarém. Na cidade ribatejana, reuniu -se com a Confederação dos Agricultores Portugueses, para medir o pulso ao sector.

 

Manuela Ferreira Leite considerou “lamentável” que mais de 800 milhões de euros em fundos comunitários destinados aos agricultores estejam já “totalmente perdidos”, por causa da acção do Governo socialista.

E a propósito dos fundos comunitários destinados a Portugal, Manuela Ferreira Leite assegurou também que, no que diz respeito ao projecto do TGV, não estão em risco quaisquer fundos comunitários, ao contrário do que foi noticiado na semana passada.

Para a líder do PSD, os 330 milhões de euros destinados à construção do troço de alta velocidade que liga Espanha a Portugal podem ainda ser renegociados, caso o projecto do TGV não siga em frente – como aliás, Manuela Ferreira Leite tem defendido nas últimas semanas.

Uma vez mais, saiu em defesa daquilo que considera ser “o interesse nacional”. Ferreira Leite garante que o acesso ao crédito por parte das empresas poderá ser “limitado”, caso Portugal dê luz verde ao projecto.

Durante a manhã, Ferreira Leite participou também numa acção de campanha pelas ruas do centro de Santarém. Esta tarde, a líder do PSD segue para Tomar e Ourém.

Por: @Marco Leitão Silva in http://legislativas2009.sapo.pt/info/artigo/1017844.html

 

Alguns Comentários ao post:

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -  

Temos problemas mais urgentes neste país do que 1 comboio! Tal despesa não é viável para agora. A agricultura e a pesca precisam mais desse dinheiro e a saúde então nem se fala. É uma vergonha que se ceguem doentes nos hospitais, que milhares não tenham médicos de família, etc, etc...

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Então Sócrites está tão preocupado com a eventual perda de 330 milhões de euros que, pelos vistos, são negociáveis, mas, não obstante as criticas que várias vezes lhe foram feitas pelos Partidos da Oposição, nada diz sobre os 800 milhões que se destinavam à Agricultura e que, ele, sublinho, ele, não aproveitou !!! Ele não diz porquê, mas digo eu. A questão é que o aproveitamento destes fundos obrigava a que Portugal suportasse uma parte do investimento, a par do que seria feito com fundos da UE, e Sócrates, para reduzir o défice, optou por não fazer este investimento. Aí têm o modo como o propagandeado controlo do défice foi feito: Sacrificando o investimento. Não haveria outra alternativas, menos gravosas para o nosso País ?

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

O NOSSO PAÍS NÃO TEM NECESSIDADE DE TGV NENHUM...DA MANEIRA QUE ESTÁ NEM PARA ANDAR DE "CARRO DE BOIS" VAMOS TER DINHEIRO... ALÉM DO MAIS, QUEM NÃO TEM DINHEIRO NAO TEM "VICIOS":...

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

publicado por damasceno às 18:30

mais sobre mim

pesquisar

 

Setembro 2009

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
18
19
25
26
27
28
29
30

links

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro

tags

todas as tags

comentários recentes

  • Que negócio da china!
  • Gostei do blog,Sara
  • Grande banda...
  • esta feira e que vai ser lool:)~»3
  • “Natal... tempo de paz, de celebração, de esperanç...
  • Os Baile a Baile de Palmela 5 musicos com uma cant...
  • Os Baile a Baile de Palmela 5 musicos com uma cant...
  • Já mudámos!… Se por um lado nos continuamos a cham...
  • Banda "NPJ" Já com um cantinho na InternetFoi no p...
  • http://acdestreladealmeida.blogspot.com/

mais comentados